Persia White fala sobre a 3ª temporada de TVD

quinta-feira, 8 de março de 2012


Na série de drama da CW, The Vampire Diaries, a atriz, cantora, artista e cineasta, Persia White interpreta a bruxa Abby Bennet, que abandonou sua filha, Bonnie, há mais de 15 anos atrás. Embora uma coisa a tenhadeixado sem poderes, Abby ainda fora capaz de trabalhar com Bonnie para abrir o caixão que continha Esther, conduzindo-a para junto de seus filhos Originais, e a um evento chocante que iria mudar a vida de Abby para sempre.
Durante essa exclusiva entrevista por telefone com Collider, Persia White falou sobre como ela conseguiu fazer parte da equipe The Vampire Diaries, o quanto ela gosta de trabalhar com o elenco, sua reação quando ela descobriu que sua personagem bruxa iria sofrer uma transição impactante, como ela não prefere saber o que esta por vir na série e como fazer parte dessa série lhe fez ter um melhor entendimento sobre essa mania vampiresca. Ela também falou sobre o que a chama atenção em outras formas de arte e por que ela gosta de fazer documentários. Confira o que ela disse depois do disso. E por favor, esteja ciente que essa matéria contém spoilers:
Collider: Como você se envolveu com essa série?
PERSIA WHITE: Eu apenas fiz um teste. Eu fiquei interessada quando meus agentes me falaram sobre isso, mas as pessoas que estavam escolhendo não estavam em L.A., foi um processo, mas realmente valeu a pena. Foi muito similar a quando eu trabalhei em programas como NYPD Blue. É apenas baseado na realidade e nos pés-no-chão dos personagens. A atuação não é muito grande. Tudo está subestimado. Foi muito divertido por que fiz seriados e comédias por tanto tempo, que é realmente adorável, mas isso é próximo do que eu estava fazendo antes, em Girlfriends. É divertido fazer diferentes trabalhos e depois voltar a isso.
Você já estava familiarizada com a série, antes de entrar no elenco, ou teve que se adaptar?
WHITE: Eu me adaptei com os personagens, por que é uma série muito complicada. Quando a série começou eu sabia sobre ela. Eu sabia que a Nina tinha ficado com a personagem Elena. Eu tive uns amigos que participaram da série, então eu sabia dela, mas eu não a acompanhava. Eu tinha acabado de ver um episódio, mas você realmente não entende quando só assiste apenas algumas partes. Então, quando eu fui fazer parte, eu pesquisei mais sobre o papel. E então reservei um tempo, tive que fazer muita pesquisa, foi muito divertido. É muito mais interessante do que “Oh, eu estou assistindo uma série.” Ela vai voltar, e as coisas estão conectadas as outras. Mantém você muito mais envolvido do que eu esperava.
E ao trabalhar na série, vi que todos do elenco são realmente muito humildes. Isso é provavelmente parte do sucesso. Não há nenhuma coisa diva acontecendo lá. Os caras são incríveis. Eu amo o Ian e o Paul, eles são maravilhosos. Eu conhecia quase todos do elenco masculino, e eu os amo. As minhas amigas imediatamente disseram: “Ah, você está trabalhando com aqueles caras gostosos. Eles são uns divos, certo? São uns babacas, não é mesmo?” E eu dizia,”Não, na verdade, eles não são.” Eu estive em um set onde você olhava para um cara e pensava que ele seria agradável e ele era terrível. E então, eu venho para essa série com esses caras que são bonitos e talentosos, e não há nenhuma atitude. Eles são ótimos. Acho que isso é fundamental neles, e eles são humildes quando se trata da série.
Eles não se gabam. Eu sou a única que está sempre se gabando porque eu trabalhei tanto na TV, que mostra que eu sei a diferença. Estou comparando esse cenário com tantos outros e eles têm um incrível elenco, uma grande química entre a equipe e a redação. O sucesso da série não é um equívoco. Um monte de pessoas está sempre se perguntando por que esta série tem tanto sucesso, mas ela está tendo esses diferentes elementos que estão em um calibre diferente, e que ainda estão aterrados. Eu não tenho nada, apenas coisas boas a dizer, e eu ainda tem pessoas pensam que eu estou mentindo. Mas, eu estou no céu quando eu vou para Atlanta. Eu gosto de lá cada vez mais. E estou muito animada para voltar. Eu amo.
Qual foi a sua reação, quando você descobriu que sua personagem iria se transformar em uma vampira?
WHITE: Eu sou tão amando estar neste show. Tem sido muito divertido. E o vampiro é maravilhoso. Ser bruxa era legal, mas vampiro está em outro nível, eu não vejo vampiras negras. Eu acho que foi com Aaliyah a última vez em que eu vi isso. Eu estava meio que “Por que isso não pode acontecer?” Então, eles vieram e disseram isso era extático. Como uma vampira, ela perdeu seus poderes de bruxa, mas eu tinha que fazer algum trabalho de bruxa primeiro. Eu sempre achei divertido fazer os feitiços. Há uma natureza sobrenatural legal lá. Mas, o vampiro é outro nível. Eu me sinto bem com isso.
Tendo visto que o pai (Jack Coleman) de Caroline (Candice Accola) se sacrificou do que optou por ser um vampiro, como o seu personagem se sente sobre esse novo status?
WHITE: Eu não posso dizer tudo, mas é uma grande decisão. As coisas que estão acontecendo com Abby estão conectadas com a história de sua filha. Voltar para esse mundo é uma novidade por que já havia sido rejeitada nele. O mundo sobrenatural é algo que ela fingia ser irreal em sua vida, e agora ela está dentro dele, e mesmo sendo uma bruxa, isso é bem difícil. E agora, ela tem um novo problema, e a decisão de se transformar será algo que dirá onde está seu relacionamento com sua filha (Kat Graham) e suas responsabilidades. Acho que veremos algumas decisões sendo feitas, e o que acontecer refletirá em seu personagem, como pessoa. É um grande sacrifício, se ela se transformar. Senão, ela estará abandonando sua filha. Ambas são decisões bem difíceis. Não posso dizer o que acontece, mas vocês verão. Toda a linhagem da família Bennet sempre fora contra vampiros. Se ela se juntar ao grupo, ela estará traindo sua família, e isso é algo a se considerar. Mesmo que sua mãe (Jasmine Guy) tenha morrido, os espíritos das bruxas ainda estão de olho e sua essência ainda está lá. Não se trata só em morrer. Então, em ambas as formas, ela estará traindo alguém.
Você sempre soube que esse seria o caminho eventual para o seu personagem, ou você descobriu somente mais tarde?
WHITE: Não, eles deixam tanto os fãs quanto os atores no escuro. É igual a vida. Nossas histórias se desenvolvem enquanto as vivemos. Temos poucas notícias do que vai acontecer antes de acontecer. Não sabemos todo o caminho de uma vez. Eles se baseiam no desenvolver dos scripts e na química dos personagens, eles escrevem acontecimentos novos e frescos. Eles não podem prever tudo. É uma escrita maravilhosa e interessante. Eles têm feito isso faz um tempo e feito isso maravilhosamente.
Você se pergunta como é o passado de sua personagem, por onde ela esteve e o que ela esteve fazendo esse tempo todo?
WHITE: É claro! Sempre faço isso. Sou fanática em fazer. Ironicamente, tudo que eu me tornei se encaixa com o que fora escrito. Nada entrou em conflito. E saí por aí junto com Kat Graham antes de começarmos a filmar e foi incrível, porque ela também se importa em dar ao seu melhor à personagem. Os fãs ainda não foram capazes de ver isso. Por mais de duas temporadas, sua personagem tem sido do tipo misteriosa. Então, é bem legal ouvir sua história, para  depois combinarmos as nossas. É um processo divertido.
É divertido ser parte de uma série que possui tantos choques e revelações, que deixam seus cabelos em pé, ou é difícil nunca saber se você morrerá no próximo episódio?
WHITE: Eu nunca sei quando eu vou morrer, mas a verdade é que assim que se vive a vida. Não sabemos se vamos entrar no carro e haverá um terremoto, ou se você voltará para casa. Não sabemos de um monte de coisa na vida. Então, ao contrário das outras coisas que fiz nos projetos onde eu sabia que caminho prosseguir, ou em um script de um filme que fora filmado seis meses antes, eu prefiro não saber. Nos mantém em júbilo por que, às vezes, eles podem decidir te matar, e então decidir te manter por um pouquinho mais, pois eles gostaram do seu trabalhoCom essa série, se eles não gostam de você, eles podem simplesmente te matar, e isso é para todos. Há o trio principal, no qual seria pouco provável, mas é possível. Não é impossível.
Com tantos personagens nesta série, há alguém que você gostaria de ter mais cenas, ou um enredo?
WHITE: Sim, há. Alguns dos Orginais são atores maravilhosos, como o Daniel (Gillies) e o Joseph (Morgan). Eu amo o Ian (Somerhalder) e o Paul (Wesley). Adoraria ter mais cenas com vampiros. Essa seria minha favorita. Eu estaria intrigada ao mexer com os problemas que Damon e Stefan lidam.
Ser parte desta série deu a você um melhor entendimento desta loucura toda vampiresca e o porquê dos fãs serem tão devotados com a história?
WHITE: É claro, agora eu entendo. Eu gostava de algumas outras coisas. Gostava de trabalhar em Buffy, a Caça-Vampiros. Essa foi a primeira coisa que eu fiz. Então, eu estava em Angel. Eu adoro o gênero, mas não via boas séries de vampiros desde então, até esta aqui. E até que gostei um pouco de Crepúsculo. Eu gosto do olhar e da sensação disto. Eu realmente amo The Vampire Diaries pro que eu gosto da série mais do que gosto dos livros. Eu gosto do modo como eles fizeram a trama. Eu entendo tudo agora.
Também, você pode ver problemas paralelos. Você pode ver vampiros x bruxas ao mesmo tempo em que há grupos religiosos x grupos raciais, e pessoas que entram em conflito entre si e não querem que seus amigos gostem do outro grupo. Há certo preconceito e ódio que se prolonga durante centenas de anos, mas tudo se resume à família e ao amor. Eu gosto disso, que neste mundo de mistério e de vampiros, podemos explorar coisas que não somos capazes de confrontar, como se estivéssemos nomeando-as do jeito que são. A amizade, a família e o amor são temas frequentes em diferentes tempos, e eu gosto disso. Eu entendo completamente. A história me ganhou, e estou viciada. Eu não me dou com facilidade, e estava bem orgulhosa de estar trabalhando nesta série. Eu não sei o que vai acontecer, mas o que quer que seja, eu espero que possa fazer mais.
Como tem sido trabalhar com Kat Graham?
WHITE: Eu adoro! Temos algumas coisas em comum que até parece estranho. Fazemos as mesmas coisas com nossas mãos, nas cenas. Ambas temos experiências, na vida real. Temos cachorros que são parecidos. São coisinhas bem aleatórias. Tem sido maravilhoso ter essa conexão por que nós nos divertimos, também. Rimos e nos divertimos tanto que o pessoal fala: “Hey, pessoal, qual é! Já chega!” Nos divertimos para caramba. A química está lá, e é uma boa química, quase uma conexão de espíritos. Não é difícil interpretar uma mãe de alguém com quem eu tenha uma conexão. Adoro trabalhar com ela. Ela é uma atriz muito dedicada. Ela é forte. Nunca tem preguiça, de forma alguma. Ela não se queixa. Ela é bem centrada. Eu a amo. Não é fácil manter uma série por tantos anos. Estando em algumas, eu sei disso. Ela esteve em muitas, e por ser jovem ela está fazendo um trabalho esplêndido. Acho que ela tem uma grande carreira pela frente. Mesmo interpretando sua mãe, não importa, eu sinto uma conexão para mostrar que isso é um pouco diferente dos outros convidados regulares. Mesmo se minha personagem morresse, ainda mencionaria isso e ainda teria essa conexão. Isso é bem legal.
Alguma vez vocês já pensaram em se juntar, musicalmente falando?
WHITE: Ela tem um álbum que está para sair. Ela assinou um contrato com a Record Label, e tem seu primeiro single e álbum prontos. Estou feliz por ela. Isso é fantástico! Embora isso seja maravilhoso. Direi a ela a sua ideia. Talvez façamos uma música para The Vampire Diaries, junto com um vídeo-clipe.
Há algo que te obriga a fazer tantos tipos de artes diferentes?
WHITE: Eu comecei como uma dançarina, como a Kat. Ela era uma dançarina, também. E então, eu me tornei atriz bem jovem. Mas eu não sabia que podia fazia isso como um modo de vida. Eu estava apenas me divertindo. Era uma menina e queria fazer de tudo. Acho que preciso mais de uma [válvula de escape] para seguir em frente. Se eu fico presa em uma música, eu vou pintar. Se eu fico presa no script, vou trabalhar em um poema ou em uma música. Numa noite só, às vezes, eu faço três coisas. Quando estou “em chamas”, às vezes, as coisas fluem, e faço três pinturas, letras de músicas e trabalhos em andamentos, tudo ao mesmo tempo. Estou trabalhando nos meus próprios projetos e estou fazendo um documentário. Eu realmente acho que eles se completam. Sinto que a arte e a criatividade são um belo arco-íris. Só que de cores diferentes.  Mas, no fundo, eu sou uma atriz. Uma das coisas que eu mais gosto é a versatilidade em ser um ator. As outras artes que eu amo muito são muito lineares. Como atriz, posso explorar coisas muito diferentes e observar o comportamento humano.  Eu adoro isso, mais do que tudo.
O que te atrai ao fazer documentários?
WHITE: Eu já fiz um documentário antes, chamado Earthlings. Neste documentário atual que estou trabalho, não posso dizer detalhes, mas é baseado na cidade ao meu redor. Não se trata de uma pessoa. Se trata de pessoas e um ambiente. Adoro documentários por que é uma coisa livre, parecida com vídeo-clipes e pinturas. É bem livre e sem limitações, e não se trata de mim. Aproveito para olhar outras coisas ao redor.

0 comentários:

Postar um comentário